FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

domingo

JOGADOR URUGUAIO DIEGO FORLÁN


Diego Forlán Corazzo (Montevidéu19 de maio de 1979) é um futebolista uruguaio que atua como atacante. Atualmente, joga no Internacional.
Considerado como um dos melhores jogadores de futebol da atualidade, Forlán é vencedor de duas Bolas de Ouro, conquistadas nas temporadas 2004-05 e 2008-09, além da Bola de Ouro da FIFA, do titulo de melhor jogador da Copa do Mundo de Futebol de 2010. É também o jogador com mais partidas disputadas na história da Celeste, e ainda detém o recorde de maior goleador da seleção celeste.
É filho de Pablo Forlán, ex-jogador que também defendeu a Seleção Uruguaia nos anos 1960 e 1970 e foi ídolo no Peñarol, no São Paulo e no Cruzeiro. Seu avô materno, Juan Carlos Corazo, também foi jogador, além de técnico e assistente, quando participou da Copa do Mundo de Futebol de 1962.
Diego Forlán, filho do ex-jogador de futebol Pablo Forlán, era um jogador de tênis promissor, mas quando sua irmã Alejandra se envolveu em um acidente que matou o namorado e a deixou sob cuidados intensivos por cinco meses, Diego resolveu seguir a tradição da família e concentrar-se no futebol. Em seu país, passou pelas categorias de base do Peñarol, clube onde seu pai se consagrara, e do Danubio.
Ainda como juvenil, foi pelo próprio pai para a equipe argentina do Independiente, onde o avô Corazo havia sido ídolo nos anos 1930 mesmo sem títulos. Na equipe de Avellaneda, profissionalizou-se e, tal qual seu avô materno, tornou-se um dos favoritos do torcedor em meio a um momento fraco do clube, não tendo conquistado troféus.
Dos Diablos Rojos foi para os Red Devils, tornando-se o primeiro uruguaio no Manchester United, da Inglaterra, por 6,9 milhões de euros. Foi contratado a pedido de Sir Alex Ferguson. Teve um inicio irregular em sua primeira temporada, em que não pode fazer muitos gols. Foi campeão da Premier League na temporada 2002-03 e da FA Cup em 2003-04, tendo anotado 27 gols em sua passagem pelo clube inglês.
Em 2004 foi adquirito pelo Villarreal por 4,6 milhões de euros, onde ganhou oTrofeo Pichichi da liga espanhola ao anotar 25 gols durante a temporada2004-05, ano em que o Villarreal CF terminou na tereira colocação]], no mesmo ano em que foi campeão da Copa Intertoto da UEFA.
Na temporada 2004-05, conquistou, junto com o francês Thierry Henry, a Chuteira de Ouro da UEFA, dada ao maior artilheiro das ligas europeias. Na temporada seguinte, conseguiria levar o Villarreal, a sua melhor campanha na história da Champions League, alcançando as semifinais. Forlán se consagrou o maior artilheiro da história do clube espanhol com 59 gols.

Duas Chuteiras de Ouro UEFA

Em 2007, chegou ao Atlético de Madrid por 23 milhões de euros com a missão de substituir Fernando Torres, que havia sido negociado com o Liverpool. No clube madrilenho, vive o auge de sua carreira. Firmou-se como o grande artilheiro e definidor da equipe, formando uma dupla de ataque muito eficiente ao lado do argentino Sergio Agüero.
Na temporada 2008-09, marcou 35 gols em 45 partidas, recebendo por isso a sua segunda Chuteira de Ouro e o Trofeo Pichichi. Ganhou também o prêmio de melhor jogador uruguaio do ano, prêmio dado pela federação uruguaia. Forlán também entrou para a história em 8 de maio de 2008, quando passou José Luis Zalazar e se tornou o maior goleador uruguaio no Campeonato Espanhol, com 69 gols.
Na temporada 2009-10, foi peça chave do Atlético na conquista da UEFA Europa Leagueao marcar o gol da vitória contra o Valencia nas quartas, Liverpool nas semi-finais e ao marcar os dois gols decisivos contra o Fulham, da Inglaterra, em jogo que acabou em 2-1 e deu o título para os espanhóis. Terminou a temporada com 28 gols em 46 jogos.
A temporada 2010-11 não poderia ter melhor início ao conquistar a Supercopa Europeia contra a Inter de Milão por 2-0. Em 30 de janeiro de 2011, disputou no estádio Vicente Calderón o seu jogo 500, em partida contra o Athletic Bilbao, terminando a partida com derrota de 2-0. Com seu gol contra o Villarreal CF no dia 5 de março de 2011, entrou no top 10 dos maiores artilheiros da história do Atlético de Madrid no Campeonato Espanhol.
É o jogador com mais partidas e mais gols da história da seleção celeste. Disputou as Copas do Mundo de 2002 e 2010. Na primeira, marcou um dos gols mais bonitos do torneio, chutando de fora da área para encobrir toda a defesa do Senegal e diminuindo parcialmente a derrota uruguaia para 3 a 2 - os uruguaios empatariam, mas acabariam eliminados naquela partida, na última rodada da primeira fase.
Na segunda, após a não-classificação da Celeste para a Copa do Mundo de 2006, Forlán liderou a bela campanha da seleção uruguaia, sendo um dos artilheiros da competição com cinco gols marcados, ao lado de David Villa, da EspanhaWesley Sneijder, da Holanda, e Thomas Müller, da Alemanha.
Foi ainda eleito o Bola de Ouro do mundial, como melhor jogador do torneio. Forlán obteve 23,4% dos votos, contra 21,8% de Sneijder e 16,9% de Villa, apesar de ser o único dos três que não disputou a final. É o quarto jogador sul americano a ganhar a Bola de Ouro numa Copa do Mundo. Os outros foram Diego Maradona (1986), Romário (1994) e Ronaldo(1998). O Uruguai voltou ao cenário mundial ao ficar com o quarto lugar no torneio, perdendo o terceiro lugar contra a Alemanha.

Bola de Ouro da Copa do Mundo da FIFA2010

Em âmbito continental, jogou ainda a Copa América de 20042007 e 2011, na qual foi campeão. Durante a edição de 2011, Forlán vinha sendo criticado por algumas má atuações e pelo jejum de gols que perdurava desde a Copa do Mundo. Na final contra o Paraguai, porém, marcou dois gols e tornou-se o maior artilheiro da Celeste junto a Héctor Scarone, com 31 gols. Ao fim da partida, o Uruguai tornou-se campeão do torneio, vencendo os paraguaios por 3 a 0, com o outro gol marcado por Luis Suárez. Para completar, Diego repetiu o feito do pai, Pablo, e do avô, Juan Carlos Corazzo, que já haviam sido campeões do torneio.

Campeão Sulamericano

Alguns meses depois, no dia 11 de outubro, superou o já citado recorde de Scarone com um gol marcado, novamente contra o Paraguai, agora pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, tornando-se isoladamente o maior artilheiro da Seleção Uruguaia.





TÍTULOS
Manchester United
Villarreal
Atlético Madrid
Seleção Uruguaia