FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

terça-feira

O URUGUAIO RUBEN WALTER PAZ MÁRQUES FOI JOGADOR DO INTERNACIONAL

Rubén Walter Paz Márquez, mais conhecido como Rubén Paz (Artigas, 8 de agosto de 1959), é um ex-futebolista uruguaio que atuava como meio-campista. Atualmente é assistente técnico no Peñarol.
Foi considerado um dos melhores meias do mundo na década de 1980. Deu seus primeiros passo no Peñarol de Artigas, em 1975, indo para o Peñarol de Montevidéo em 1977, onde se profissionalizou. Neste clube conquistou três campeonatos uruguaios em 1978, 1979 e 1981, sendo artilheiro deste último com 17 gols marcados. Em 1982, transferiu-se para o Internacional, do Brasil e conquistou três títulos consecutivos do Campeonato Gaúcho (1982, 1983, 1984). Em 1987, após uma passagem não muito boa pelo Racing Club de France, transferiu-se para o Racing, da Argentina onde conquistou a primeira Supercopa Libertadores da América em 1988 e a Supercopa Interamericana nesse mesmo ano, sendo ainda eleito o melhor jogador das Américas. Após passar por vários clubes, encerrou a carreira de jogador em 2006, aos 47 anos.
Com a Seleção do Uruguai foi bicampeão do Campeonato Sul-Americano Sub-20 em 1977 e 1979. Conquistou o Mundialito em 1981 sendo ainda eleito o melhor jogador da competição. Disputou duas Copas do Mundo: a de 1986 e 1990. Obteve também o vice-campeonato da Copa América de 1989. Pela Celeste Olímpica, jogou 45 partidas e marcou 12 gols.