FUTEBOL URUGUAYO:

'' É uma religião nacional. A única que não tem ateu. Somos poucos: 3,5 milhões de uruguayos. É menos gente do que um bairro de São Paulo. É um país minúsculo. Mas todos futebolizados. Temos um dever de gratidão com o futebol. O Uruguay foi colocado no mapa mundial a partir do bicampeonato olímpico de 1924 e 1928, pelo futebol. Ninguém nos conhecia.

O futebol uruguayo é o melhor? Não. No mundo guiado pelas leis do lucro, onde o melhor é quem ganha mais, eu quero ser o pior. Não poderíamos sequer cometer o desagradável pecado da arrogância. Seria ridículo para um país pequeno como o nosso. Não somos importantes, o que é bom. Neste mundo de compra e venda, se você é muito importante vira mercadoria. Está bom assim.

Como explicar Uruguay?.... Somos um pouco inexplicáveis. Aí é que está a graça".

EDUARDO GALEANO - Escritor

quinta-feira

LUGANO: JUGADOR URUGUAYO DE SÃO PAULO, PSG, MÁLAGA E CERRO PORTEÑO

Lugano
Diego Alfredo Lugano Moreno (Canelones2 de novembro de 1980) é um futebolista uruguaio que atua como zagueiro. Atualmente joga pelo Paris Saint-Germain.

Carreira

Na posição de zagueiro, foi revelado pelo Nacional de Montevidéu, onde jogou entre 1999 e 2001, teve também uma passagem pelo Plaza Colonia.
Contratado pelo São Paulo em 2003, teve sua estreia em 11 de maio, no empate contra o Atlético Mineiro por 1 a 1. Seu início na equipe paulistana foi conturbado, pois ele chegou com a pecha de "homem do presidente", já que foi o então presidente do clube, Marcelo Portugal Gouvêa que bancou sua contratação, sem a aprovação do então treinador Oswaldo de Oliveira. Nos seus primeiros meses, chegou a ficar de fora de vários jogos, não sendo relacionado nem para o banco de reservas.
Com a saída de Oswaldo de Oliveira, ainda em 2003, passou a ser escalado mais vezes e, com seu estilo raçudo e de muita garra, conquistou a titularidade e o carinho da torcida e foi titular da equipe quando conquistou o Campeonato Paulista, a Libertadores e o Mundial de Clubes da FIFA em 2005.
Lugano, atualmente, é titular e capitão da Seleção Uruguaia, pela qual disputou a Copa América de 2007, a Copa do Mundo de 2010, ficando na quarta posição, e a Copa América de 2011, da qual saiu campeão.
Uma de suas características mais marcantes, é a de raramente trocar de camisa com o adversário ao final do jogo, alegando não se sentir confortável com tal ato, em respeito ao torcedor, para o qual a camisa de seu time é sagrada. Chegou a trocar poucas vezes e diz que as mais especiais de sua modesta coleção são as camisas da seleção uruguaia e uma camisa da seleção brasileira com o número 13 nas costas, dada por Zagallo.
Lugano foi eleito o melhor zagueiro do Campeonato Brasileiro de 2005 por sua força e, principalmente, sua raça, uma de suas características.
Em agosto de 2006, após a final da Libertadores da América, foi para o Fenerbahçe, da Turquia. Ainda ídolo em São Paulo, foi recebido por cerca de vinte torcedores, a maioria deles brasileiros, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, quando chegou para a partida do Uruguai contra o Brasil, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, em novembro de 2007. Em agosto de 2009 renovou contrato por quatro anos, porém saiu em 2011, ao ser negociado com o Paris Saint Germain, da França.
Em várias entrevistas, declarou o desejo de um dia, voltar ao São Paulo Futebol Clube, seu time de coração.